O papel das administradoras no convívio em condomínios

08 de agosto de 2018
Sucesso do cliente

Você já parou para pensar quem é o seu cliente no condomínio? A resposta mais imediata poderia ser: “Claro, é o síndico!”. Mas… apenas ele? Certamente, não. Hoje sabemos que uma administradora, para fidelizar sua atuação no mercado de condomínios, precisa ampliar seu portfólio de serviços e seu olhar, percebendo que, além do síndico, o seu cliente é o condômino.

Lincoln Murphy, consultor e especialista em crescimento empresarial, afirma que “o sucesso do cliente é quando seus clientes alcançam os resultados desejados através das interações com sua empresa”. Mas, como colocar em prática essa afirmativa no caso das administradoras de condomínio, considerando como clientes também o condômino?

Primeiro, é preciso esclarecer quais são os “resultados desejados” pelo seu cliente. Sabemos que, todos, quando compram ou alugam um imóvel, estão buscando viver e conviver bem no local em que escolheram morar.

A administradora, como parte da gestão dos condomínios, pode ter um papel fundamental e contribuir em um aspecto muito profundo da vida dos condôminos: o modo como eles se sentirão em seus próprios lares!

E o que é viver e conviver bem?

O senso comum costuma qualificar um bom local para se viver analisando a segurança, a localização, a idoneidade da construtora, as facilidades e conveniências da região, a qualidade das instalações e do acabamento do imóvel. Tudo isso é importante, mas garante o bem viver nos condomínios?

Importantes pesquisas científicas têm respondido a essa questão com um sonoro NÃO! Morar de forma conveniente, ampla e sofisticada não garante o bem viver em comunidade. A peça-chave para uma vida feliz e saudável é conviver bem.

A Universidade Harvard, nos Estados Unidos, divulgou, em 2017, o resultado da pesquisa Harvard Study of Adult Development – o mais longo estudo sobre vida adulta já realizado. Por 80 anos (1938 – 2017), equipes de pesquisadores acompanharam a vida de 724 homens, perguntando sobre seus trabalhos, vida doméstica, saúde física e mental.

Não foi detectada relação entre possuir riqueza, ser famoso ou trabalhar exaustivamente e ter uma vida mais significativa. Das milhares de páginas geradas, os cientistas chegaram a uma principal conclusão: bons relacionamentos nos mantêm mais felizes e mais saudáveis.

Além dessa conclusão principal, os pesquisadores estabeleceram três lições sobre relacionamentos:

– conexão saudável com família, amigos e comunidade traz longevidade e felicidade;

– bons relacionamentos são protetores de nossa saúde física;

– poder contar com os outros preserva a saúde mental por mais tempo.

Você deve estar se perguntando: qual a relação desses resultados com as administradoras de condomínios? Se já vimos que seus clientes também são os condôminos, e eles querem e precisam conviver bem, seus serviços necessitam se adequar a essa realidade.

Afinal, como administrador, você sabe que, se o condomínio não for um local onde as pessoas se respeitam, colaboram com o bem comum, resolvem os conflitos de maneira harmônica e construtiva, não se alcançará o sucesso do cliente, e os condôminos terão uma má experiência em seus próprios condomínios, mesmo que sua administradora seja eficiente na gestão administrativa.
Primeiros passos para as administradoras atuarem no convívio:

– Capacitar sua equipe. Sua equipe precisa ser capacitada para atuar nas questões de convívio e oferecer aos seus clientes soluções que atendam suas expectativas. Por exemplo: como mediar conflitos? Como moderar grupos online? Como oferecer campanhas educativas?

– Conhecer amplamente seu cliente. Um bom diagnóstico estruturado pode identificar o perfil dos moradores, considerando as dimensões emocionais, comportamentais, culturais e seus principais temas de interesse. Assim, a administradora poderá propor uma rota de atuação e uma agenda de atividades, que promova e incentive o convívio saudável no ambiente de moradia.

– Comunicar-se bem com os condôminos. A falta de comunicação é uma fonte de conflito e mal-entendido em todos os relacionamentos. Se você se comunica bem, abordando assuntos relevantes de forma criativa e eficaz, poderá prevenir confrontos e facilitar consensos, cumprimentos de regras e o desenvolvimento de confiança mútua, dentre outras questões importantes para a convivência saudável.

Sua administradora capacitada pode promover o convívio saudável nos condomínios, e, dessa forma, ampliar os pontos de interação com o cliente para que ele alcance o sucesso desejado. Você, além de fidelizar seu cliente, aumentará seu portfólio de atuação e habilidades.

Desenhar e melhorar o convívio nos condomínios é fundamental nos dias de hoje e gera uma nova oportunidade de negócio e crescimento de renda para sua administradora. Ao mesmo tempo, é uma forma de contribuir com uma vida mais feliz e saudável para todos os condôminos e para a sociedade em geral.

Ana Raquel Motta
Cláudia Pellegrino

DNA Social – Design de Convívio
http://www.dnasocial.net/

Veja outros posts